QUAL O MELHOR ANTIVÍRUS?

0

QUAL O MELHOR ANTIVÍRUS?

A questão do antivírus é extremamente importante apesar de muitos utilizadores de computadores a descurarem ao ponto de nem sequer o utilizarem.
Já ouvimos toda a espécie de argumentos por parte de quem não utiliza antivírus mas aquele que mais surpreende é este:

“Eu não uso antivírus e nem preciso de um porque nunca tive vírus no meu computador”

Como podemos demonstrar a estas pessoas onde está o seu erro de raciocínio? Certamente usando um exemplo que lhes permita uma visualização clara do problema. Um bom exemplo é precisamente o de um vírus biológico: Todos sabemos que podemos estar infetados com o vírus da SIDA e não apresentar qualquer sintoma. A única forma de sabermos é fazer um teste. Da mesma forma, o nosso computador pode estar infetado com um vírus informático ou até vários e não apresentar qualquer sintoma aos nossos olhos. A única forma de saber será, também, fazer um teste.

Ora, os antivírus servem precisamente para isso. Eles testam regularmente o computador em busca de vírus e outros problemas de segurança. Mas a sua função mais importante é a PREVENÇÃO! Um bom antivírus, devidamente atualizado, reconhecerá um vírus no momento em que este tentar infetar o computador e bloqueá-lo-á. Isto é muito importante porque pode ser muito difícil ou mesmo impossível remover um vírus depois de este ter conseguido penetrar no sistema.

Portanto, percebemos agora a importância de ter um antivírus instalado no nosso computador. Mas aqui surge um  segundo problema: Uma grande parte das pessoas até se certifica de que tem um antivírus instalado. Mas a sua preocupação acaba aí, ignorando completamente que o software antivírus tem de ser regularmente atualizado. É que, todos os dias, a toda a hora, surgem novos vírus, novas ameaças, novas tácticas e será impossível a um programa antivírus reconhecer uma ameaça se não tiver informação sobre ela, sendo que, a forma de ter essa informação é através do seu mecanismo de atualização.

É por esta razão que os fabricantes de antivírus vendem licenças com capacidade de atualização temporária (normalmente um ano). O trabalho permanente de investigação e atualização das respostas ás novas ameaças exige um fluxo permanente de recursos que só se podem obter se os clientes pagarem regularmente por esse serviço. Assim, temos de comprar uma nova licença do nosso antivírus cada vez que o seu período de atualização expira. Se não o fizermos, ficaremos com um antivírus desatualizado que apenas nos poderá proteger das ameaças antigas que são precisamente as que se vão tornando menos ativas.

GRATUITO OU PAGO?

E os antivírus gratuitos? Não se atualizam?

Claro que sim. Ou de nada serviriam. O problema dos antivírus gratuitos são as sua limitações:
billionphotos-957619_256x256Alguns são versões de curta duração (normalmente um ou dois meses) que servem para que possamos testá-los e, caso nos satisfaçam, comprar as versões de duração normal. Não descure os avisos de prazo expirado destas versões. Além de deixarem de se atualizar, muitas vezes deixam mesmo de proteger em tempo real. A tal função de prevenção que é ainda mais importante. Ou seja, nestas condições, estaremos essencialmente desprotegidos mesmo com um antivírus instalado.

Alguns outros são versões limitadas das respetivas versões pagas. Se a utilização que dá ao seu computador não implica informações privadas importantes e se não utiliza serviços bancários ou cartões de crédito online, uma destas versões limitadas poderá ser suficiente para si, mas deve procurar saber se essa protecção está à altura das suas necessidades. Leia com atenção a lista das funcionalidades disponibilizadas. Uma boa forma de perceber os diferentes graus de proteção é consultar as tabelas comparativas das diferentes versões de antivírus que cada marca disponibiliza. A consulta de análises e opiniões em sites e fóruns especializados é também uma ótima forma de sabermos se estamos a escolher uma boa proteção para o nosso caso.

LEGALIDADE

Uma limitação comum a quase todos os antivírus gratuitos é a sua licença: É normalmente ilegal utilizá-los na sua empresa! Esta é uma questão ignorada por muitas pessoas que usam estas versões nos seus locais de trabalho. Se houver uma fiscalização poderá ter grandes dissabores. Tudo porque não leu as condições de utilização dessa versão ou porque quem lha instalou nem sequer se preocupou em informá-lo das implicações.

Então que antivírus posso usar na minha empresa? Tenho mesmo de pagar? Os mais caros são mesmo melhores?

Em outros artigos desta rúbrica analizaremos algumas das opções mais conhecidas do mercado. Entretanto, porque não partilhar a sua própria experiência e opinião nos comentários deste artigo?

Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este website usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar, estará a consentir a sua utilização. Ok Saber mais